Rota de Santa Maria vai propor antecipar a duplicação total da RSC-287 até 2028

O contrato assinado no ano passado prevê a duplicação do trecho entre Tabaí e Novo Cabrais até 2030.

jun 28, 2022

Foto: O Correio

A principal estrada que corta o Vale do Rio Pardo pode ser duplicada antes do previsto no contrato assinado com o governo do Estado. Pelo acordo, toda a rodovia, entre Tabaí e Santa Maria, deve receber a intervenção em todos os trechos até 2042. Após questionamentos de prefeitos, deputados e de entidades representativas, a concessionária fez um novo estudo e afirma que pode finalizar a duplicação total da estrada em até 6 anos, ou seja, até 2028. A proposta agora vai ser encaminhada para análise da Secretaria Estadual de Transportes para avaliação técnica.

A mudança precisa de autorização também da Procuradoria-Geral do Estado. Se a antecipação da obra for aprovada, o projeto ainda precisaria passar por uma audiência pública com as comunidades envolvidas. Os detalhes da proposta só vão ser tornados públicos após a apresentação para o governo do Estado. O contrato assinado no ano passado prevê a duplicação do trecho entre Tabaí e Novo Cabrais até 2030. Já o trajeto até Santa Maria só deve receber a intervenção entre 2040 e 2042.

O atual acordo estabelece uma espécie de gatilho. Ele prevê que a duplicação de trechos saia antes desse prazo, caso o tráfego passe de 18 mil eixos por dia. No entanto, para que o projeto seja antecipado para até 2028, a tarifa precisa ser readequada. Atualmente, um veículo de passeio R$ 3,70. Mesmo que a concessionária não fale em impacto, a estimativa é de que o custo do pedágio poderia quase dobrar para custear a antecipação da duplicação da RSC-287.