UTI Móvel foi tema de reunião em Sobradinho

Ficou definido que o município irá habilitar o veículo para ambulância nível “B”, a qual será equipada com desfibrilador, bomba de difusão e o respirador, sendo que este será utilizado em parceria com o Hospital São João Evangelista, permitindo assim o transporte de pacientes em casos mais graves.

fev 25, 2022

Foto: Divulgação

O prefeito Armando Mayerhofer; o secretário da Administração, Dilamar Silva, e o secretário da Saúde, Idelfonso Barbosa, estiveram reunidos nesta quinta-feira (24), no Centro Administrativo de Sobradinho, com o engenheiro Fiscal/Sanitário, André Dalcin, e o enfermeiro Flávio Thomé, ambos da Vigilância Sanitária da 8ª Coordenadoria Regional de Saúde, de Cachoeira do Sul. Na oportunidade, trataram sobre a utilização da UTI Móvel que foi adquirida recentemente pelo município. Conforme o prefeito, ficou definido que o município irá habilitar o veículo para ambulância nível “B”, a qual será equipada com desfibrilador, bomba de difusão e o respirador, sendo que este será utilizado em parceria com o Hospital São João Evangelista, permitindo assim o transporte de pacientes em casos mais graves.

Já nas situações em que o paciente apresentar risco de morte o município seguirá locando o serviço de UTI Móvel, através do Consórcio Intermunicipal de Saúde. Já o secretário da Saúde, Idelfonso Barbosa, lembra que para montar toda a estrutura necessária e colocar a UTI móvel em funcionamento, como sugerido pelos fiscais da 8ª Coordenadoria Regional de Saúde, se tornaria inviável, uma vez que além da base, também há a exigência de montar uma equipe técnica formada por um médico, uma enfermeira ou uma técnica em enfermagem, e um motorista, a disposição nas 24 horas do dia, inclusive nos finais de semanas e feriados.

O prefeito Armando Mayerhofer ressalta que a complementação dos equipamentos da ambulância, passando ela para o nível “B”, vai dar condições, e possibilitará o transporte de pacientes, tanto em casos mais simples, quanto em casos mais graves, sempre observando o entendimento do médico responsável pela transferência, que irá indicar o grau de gravidade da pessoa a ser transportada, indicando ainda se o paciente poderá ser transferido utilizando a ambulância nível “B” ou se a Secretaria da Saúde precisará contratar o serviço de uma UTI Móvel.