Sobradinhense pilotava caça da FAB que interceptou avião usado no contrabando de ouro em Rondônia

A interceptação foi feita pelo primeiro tenente aviador Gustavo Rothmund Bolfe, natural de Sobradinho, pilotando a aeronave A 29 Super Tucano.

jul 2, 2022

Foto: Polícia Federal

Fiscalizar o espaço aéreo é uma das missões da Força Aérea Brasileira na região Norte do país, especialmente na fronteira com países vizinhos. Esta semana, um avião sem plano de voo apareceu nos radares da Base Aérea de Porto Velho, Rondônia. Imediatamente uma aeronave da FAB foi acionada para fazer a interceptação e determinar que o piloto pousasse, uma vez que se tratava de um voo não autorizado. A operação contou com a participação da Polícia Federal que fez a abordagem em solo, encontrando seis barras de ouro num compartimento secreto do avião que fazia o voo irregular.

A interceptação foi feita pelo primeiro tenente aviador Gustavo Rothmund Bolfe, natural de Sobradinho, pilotando a aeronave A 29 Super Tucano.  Conforme ele, o homem que pilotava o avião interceptado não ofereceu resistência e pousou assim que recebeu a ordem. Em caso de desobediência, em situações como esta, a lei permite até mesmo que o avião em voo clandestino seja abatido, como último recurso.

No caso desta semana, os procedimentos legais e administrativos foram lavrados na Superintendência da PF em Porto Velho onde as investigações continuam para identificar os demais envolvidos no transporte clandestino de ouro. O tenente aviador Gustavo Rothmund Bolfe tem 27 anos, e está lotado na Base Aérea de Porto Velho desde janeiro de 2020.