A delegacia de Polícia de Sobradinho, com apoio da Brigada Militar, promoveu na manhã deste sábado (08), a segunda fase da Operação Supremacia, iniciada em janeiro deste ano com o objetivo de identificar os autores do atentado a família de um agente penitenciário. Em Janeiro, foram cumpridos 22 Mandados de Busca e apreensão e foram presas 8 pessoas. A polícia deu continuidade as investigações e representou pela prisão preventiva de 15 pessoas vinculadas à Facção Criminosa, por crimes de homicídio, organização criminosa, tráfico de drogas, associação para o Tráfico, corrupção de menores, comércio ilegal de armas, entre outros.

Conforme a Delegada Graciela Foresti Chagas, que coordenou as investigações, o caso já está esclarecido com os autores identificados, todos integrantes da facção que ordenou o atentado, e será remetido ao Poder Judiciários nos próximos dias. Contudo, durante as investigações, foram colhidas provas de autoria e materialidade de outros crimes praticados por membros da mesma organização criminosa, acarretando, assim, na representação pelas 15 prisões preventivas e mais 20 mandados de busca que estão sendo cumpridos neste sábado, além das prisões em flagrante. Na operação deste sábado, no entanto, foram presas 14 pessoas, além na apreensão de drogas, veículos, celulares, dinheiro, uma balança de precisão, e anotações da contabilidade do tráfico de drogas na região. Um dos presos possui antecedentes policiais por tráfico e homicídio. Após o trâmites de polícia judiciária, todos os presos serão recolhidos ao presídio estadual de Sobradinho. Para a delegada Graciela Foresti Chagas, a Operação foi considerada um sucesso. Segundo o delegado regional Luciano Menezes, num município como Sobradinho, com 15 mil habitantes, 15 mandados de prisão preventiva representa muito.

Ele destaca que Sobradinho é uma ramificação dos grandes traficantes de Santa Cruz do Sul, muitas vezes comandados de dentro dos presídios pelos chefes das facções. Já o Capitão Ricardo Mori, da Brigada Militar, o sucesso da operação se deu em razão do planejamento do cerco, bem como do profissionalismo dos policiais militares e civis que participaram da operação. Participam da ação a Divisão de Apoio Aéreo da Polícia Civil, policiais de Sobradinho, Arroio do Tigre, Salto do Jacuí, Cruz Alta, Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Rio Pardo, Pantano Grande e Venâncio Aires, totalizando 71 policiais civis e 15 policiais militares do Grupamento Tático e do serviço de inteligência da Brigada Militar.

Confira as informações com o repórter Jorge Augusto Foletto: