Reunião para negociação do preço do tabaco termina sem acordo

A Comissão lamentou que, mais uma vez, as reuniões terminam com notícias negativas.

jan 26, 2024

Foto: Divulgação/Afubra

Uma nova rodada de reuniões de negociação de preço do tabaco para a safra 2023/2024 ocorreu na tarde dessa quinta-feira (25). Três empresas foram recebidas pela comissão representativa dos fumicultores. Com nenhuma delas, foi firmado protocolo, apesar das entidades terem reconsiderado a proposta inicial da variação do custo de produção de cada empresa mais 5 pontos percentuais, como reajuste dos valores das tabelas de preços mínimos. A Comissão lamentou que, mais uma vez, as reuniões terminam com notícias negativas.

Em nota, a comissão representativa dos produtores informa que não reconhece a tabela de empresa que não concede reajuste de, no mínimo, da variação do custo de produção. Segundo as entidades, “as empresas, ao não repor nem a variação do custo de produção da safra demonstram não ter comprometimento com seu produtor integrado”. Os representantes dos fumicultores salientam que “para assinar um protocolo é necessário que haja a reposição do custo de produção mais um percentual de lucratividade, conforme proposta apresentada pelos produtores”.

A comissão representativa dos produtores de tabaco é formada pela Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) e pelas Federações da Agricultura (Farsul, Faesc e Faep) e dos Trabalhadores Rurais (Fetag, Fetaesc e Fetaep) do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.