Presidente do Sindicato de Segredo alega legítima defesa na morte do vigia

Segundo a delegada, Limberger afirma que fez os disparos após Claudiomiro tentar investir contra ele com uma pá que usava para a construção de um muro

nov 30, 2023

Foto: Brigada Militar

A delegada Graciela Foresti Chagas afirmou que não há dúvidas sobre a autoria da morte do vigia Claudiomiro de Lima Costa, de 48 anos, no último dia 23. Em entrevista ao programa Enfoque desta quinta-feira, Graciela Foresti Chegas disse que o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Segredo, Miguel Limberger, confessou o assassinato.

Ele foi preso em flagrante poucas horas após o crime pela Brigada Militar, na localidade de Pedra Lisa, interior do município. Segundo a delegada, Limberger afirma que fez os disparos após Claudiomiro tentar investir contra ele com uma pá que usava para a construção de um muro. Graciela Foresti Chagas disse que está analisando essa possibilidade, mas que não vê muitos indícios de que se sustente.  E mesmo que tenha ocorrido, a reação teria sido desproporcional, afirmou a delegada.

Miguel havia vendido um terreno para Claudiomiro o que gerou um desentendimento entre eles. Havia vários registros na delegacia de um contra o outro. Conforme a delegada, Claudiomiro havia obtido uma autorização da justiça para erguer um muro na divisa do terreno, o que teria sido mais um ingrediente da desavença. Após a prisão em flagrante, a Polícia Civil pediu a prisão preventiva de Limberger que continua recolhido ao Presídio de Sobradinho. O inquérito policial deverá ser concluído nos próximos dias, e o autor deverá ser enquadrado em homicídio duplamente qualificado, de acordo com a delegada.