Prefeito Armando Mayerhofer explica compra de usina de asfalto

O prefeito salientou que visitou vários municípios a fim de buscar informações sobre a viabilidade da compra da Usina

nov 12, 2021

Prefeito Armando e secretário de Finanças, Nilo Wietzke, visitaram estrutura em Flores da Cunha. Foto: Divulgação

O prefeito Armando Mayerhofer apresentou, na manhã desta sexta-feira (12), detalhes sobre a decisão de comprar uma Usina de Asfalto, mediante financiamento de 1 milhão e 800 mil reais. Projeto neste sentido foi aprovado nesta quinta-feira (11) pela Câmara de Vereadores. Em entrevista ao programa Enfoque da Rádio Sobradinho AM, ele garantiu que se o investimento não fosse viável não teria tomado a decisão. O prefeito salientou que visitou vários municípios a fim de buscar informações sobre a viabilidade da compra da Usina.

Conforme Mayerhofer, o equipamento terá capacidade de produzir 20 toneladas por hora, o que proporciona a construção de um quilometro de asfalto por mês. A intenção é asfaltar as ruas ainda não pavimentadas da área urbana, e posteriormente, estradas do interior. O prefeito esclareceu que a ideia é partir sempre da área urbana ou de uma via já pavimentada até a sede das comunidades. A usina também deverá ser utilizada para a recuperação de parte do acesso Euclides Bento Pereira, na entrada da cidade, e depois, asfaltar as ruas de maior fluxo no perímetro urbano.

Quanto ao questionamento feito pelo Vereador Jeferson Matana sobre os custos para a preparação da base para a construção do asfalto, Mayerohfer disse que os valores citados pelo parlamentar, provavelmente, se referem a regiões muito arenosas onde a despesa é maior, diferente do tipo de solo de Sobradinho formado por muitas rochas, sendo, portanto, mais resistente. O prefeito lembrou ainda que Sobradinho já possui boa parte dos equipamentos para preparar a base, como rompedor, escavadeira hidráulica e rolo-compactador.

Segundo ele, um dos motivos que o levaram a decidir pela compra da Usina de Asfalto é a dificuldade de encontrar mão de obra qualificada para a construção de calçamento. O prefeito salientou que não descarta a possibilidade de fornecer material para prefeituras vizinhas executarem pequenas obras asfálticas através do Consórcio Intermunicipal Vale do Jacuí. Armando Mayerhofer garantiu ainda que não faltarão recursos em outros setores, como Educação e Saúde, porque estas áreas possuem dotação específica prevista em lei.

A expectativa é assinar o contrato de financiamento com a Caixa Econômica Federal ainda este ano, com abertura da licitação no ano que vem. O projeto autorizando a compra foi aprovado em sessão extraordinária, na manhã desta quinta-feira, por 7 votos favoráveis e 1 contrário do vereador Jeferson Matana. Na ocasião, o vereador disse que daqui há dois anos falará sobre os resultados da instalação desta usina.