Prefeito Armando Mayerhofer avalia projetos polêmicos em tramitação na Câmara

Ele abordou vários assuntos, entre eles a entrega da usina de asfalto que o município adquiriu.

maio 2, 2022

Foto: Henrique Lindner/Rádio Sobradinho AM

O prefeito de Sobradinho, Armando Mayerhofer, falou hoje ao programa Enfoque da Rádio Sobradinho. Ele abordou vários assuntos, entre eles a entrega da usina de asfalto que o município adquiriu. Segundo ele, nos próximos dias chegarão os equipamentos que ainda faltam, e a montagem da usina deverá estar concluída na pedreira da prefeitura em Linha Herval em cerca de 45 dias. Mayerhofer disse que este é o início de um projeto que em 15 anos poderá resultar no asfaltamento de todas as estradas entre as comunidades do interior e a cidade, bem como as ruas da área urbana que ainda não estão pavimentadas.

Na entrevista, o prefeito também avaliou os questionamentos feitos pelo presidente da Câmara, Jeferson Matana, sobre os custos para a construção da imagem de Cristo no município. Para o vereador, a obra poderá resultar numa despesa de 4 milhões para os cofre públicos municipais, contando desde a pavimentação do acesso até a instalação de água e luz. Armando Mayerhofer contestou esses números e questionou de onde o vereador teria obtido esses dados. O prefeito disse que a previsão inicial é pavimentação de apenas 300 metros no acesso à imagem e que as demais obras de infraestrutura serão feitas gradativamente no futuro.

O projeto que tramita na Câmara prevê a destinação de 1 milhão 185 mil reais para a construção do monumento. Mayerhofer acredita que a matéria seja aprovada, lembrando que em votações anteriores a Câmara já deu aval à proposta. Sobre a solicitação do Legislativo para que a autorização da obra fosse enviada separadamente de outras duas, o chefe do Executivo reafirmou que pelo fato de a origem dos recursos ser a mesma, todas foram reunidas num só projeto. O prefeito ainda falou sobre o questionamento feito a respeito do projeto que destina 700 mil reais para a compra de uma escavadeira hidráulica.

Ele garantiu que não serão utilizadas verbas da Educação e sim uma reserva de recursos que havia sido destinada para o fundo de previdência dos trabalhadores deste setor. Segundo ele, como o Tribunal de Contas passou a aprovar que fossem usadas verbas do FUNDEB para o fundo previdenciário, esta reserva não será mais necessária e poderá ser utilizada para outra finalidade. Este projeto e os demais abordados pelo prefeito estão na pauta da sessão desta segunda-feira do Poder Legislativo.