Mais de 80 funcionários da Prefeitura de Sobradinho apresentaram atestado médico em abril

Vereador Helton Vendruscollo diz que alguns atestados chegam a chamar atenção, pois, neles está escrito: “à pedido do funcionário”.

maio 25, 2021

A prefeitura de Sobradinho teve no mês de abril 88 funcionários afastados por atestados médicos. Conforme as informações reveladas pelo vereador, Helton Vendruscollo (MDB), durante seu pronunciamento na tribuna da Câmara nesta segunda-feira (24), 20 atestados foram devido a sintomas gripais ou suspeita de Coronavírus, sendo que, oito destes estão prescritos como afastamento por prazo indeterminado, e 68 atestado por outros motivos. Conforme o vereador, considerando que a prefeitura possui 467 funcionários, o número de atestados é bastante alto. Ele ressalta que alguns atestados chegam a chamar atenção, pois, neles está escrito: “à pedido do funcionário”.

Vereador Helton Vendruscollo

O parlamentar revelou que está sendo estudado pela Prefeitura, a colocação em prática de um decreto municipal de 2015, o qual prevê que o funcionário poderá apresentar o afastamento prescrito pelo seu médico de até 5 dias, sem adoção de medidas. Acima de cinco dias, um médico do município irá analisar o quadro clinico desse funcionário. Para atestados acima de 30 dias, uma junta médica contratada via consórcio intermunicipal de saúde vai avaliar a situação. Helton Vendrúscollo revelou ainda que 14 funcionários da prefeitura de Sobradinho estão afastados há mais de cinco anos por licença saúde, aguardando perícia médica e a possibilidade de aposentadoria.

Em recente entrevista concedida ao programa Enfoque da Rádio Sobradinho AM, o prefeito de Sobradinho Armando Mayerhofer confirmou que estuda mudanças no pagamento do Vale Alimentação para os servidores municipais. Conforme ele, a ideia é reduzir o valor pago nos casos de servidores que apresentam atestado médico. Ele explicou que uma das possibilidades avaliadas, é a redução do valor de forma proporcional, a partir de atestados superiores a três dias. Conforme Armando Mayerhofer, em outros municípios este critério já foi adotado, e houve uma redução significativa no número de atestados médicos.