Hospitais de Sobradinho ficam fora do repasse de recursos estaduais

Conforme Bruno Müller, nenhuma das instituições de saúde da cidade aderiram ao programa Assistir do governo do Estado, responsável pelo repasse dos recursos

nov 28, 2023

Foto: Fabrício Ceolin

O governador Eduardo Leite e a secretária da Saúde, Arita Bergmann, assinaram, na tarde dessa segunda-feira (27/), uma portaria que estabelece o aporte extra de R$ 157,3 milhões aos hospitais gaúchos vinculados ao Sistema Único de Saúde (SUS). O valor busca auxiliar no pagamento do 13º salário dos funcionários destas instituições. Ao todo, serão contempladas 226 entidades. Serão aportados R$ 118,9 milhões para 204 hospitais filantrópicos e R$ 38,4 milhões para 22 hospitais públicos. O repasse possui caráter excepcional e será pago em parcela única.

Para acessar os recursos, é necessário que a instituição seja participante do Programa Assistir. Durante o ato, que ocorreu no Palácio Piratini, o governador comentou sobre a necessidade de manter o equilíbrio fiscal para garantir a capacidade de investimentos. Cada entidade receberá o equivalente a duas parcelas a que cada uma delas faz jus pelo Assistir, tendo como base o mês de outubro. O valor máximo será de R$ 2 milhões para cada hospital filantrópico e de R$ 3 milhões para cada hospital público. Esse aporte extraordinário beneficiará 152 unidades sob gestão estadual e 74 sob gestão municipal.

No Centro Serra, o Hospital Santa Rosa de Lima, de Arroio do Tigre, receberá R$ 196.700,00, e o Hospital São João Evangelista, de Segredo, R$ 32.400,00. Os hospitais de Sobradinho não aparecerem na lista dos beneficiados. Falando ao programa Enfoque da Rádio Sobradinho AM, o coordenador Adjunto da 8ª Coordenadoria Regional de Saúde, Bruno Müller, explicou o porquê os Hospitais de Sobradinho não participaram do rateio dos recursos. Conforme ele, nenhuma das instituições de saúde da cidade aderiram ao programa Assistir do governo do Estado, responsável pelo repasse dos recursos. O Programa Assistir destina recursos financeiros a hospitais, independentemente de a gestão ser estadual ou municipal.