Grupo de mães pede ao Executivo aumento de verbas para a APAE

Segundo elas, 41 crianças estão nesta situação e que faltam profissionais especialmente para Terapia Ocupacional, Equoterapia e para Análise Comportamental Aplicada, conhecida pela sigla ABA, tratamento destinado a crianças com autismo.

maio 10, 2022

Foto: Henrique Lindner/Rádio Sobradinho AM

Um grupo de mães se reuniu nesta segunda-feira (09) com o prefeito Armando Mayerhofer para tratar sobre a falta de profissionais para atendimento na APAE. Elas pediram o aumento no repasse de recursos da prefeitura para a instituição que atualmente não consegue atender toda a demanda, principalmente devido ao surgimento de muitos casos de autismo nos últimos anos. Em entrevista ao programa ENFOQUE desta terça-feira (10), Táira Alves Rech, Gabriele Pereira de Camargo e Talía Aparecida Lasch da Silva disseram que seus filhos correm o risco de ter seu quadro agravado devido à demora no atendimento.

Segundo elas, 41 crianças estão nesta situação e que faltam profissionais especialmente para Terapia Ocupacional, Equoterapia e para Análise Comportamental Aplicada, conhecida pela sigla ABA, tratamento destinado a crianças com autismo. De acordo com as mães, as crianças até tem algum tipo de atendimento, mas insuficiente para suas necessidades. O problema já foi relato anteriormente ao Executivo. No encontro de ontem, segundo elas, o prefeito ficou de estudar uma solução, mas pediu um prazo de 15 dias para contratar profissionais ou fazer repasse adicional para a APAE.

As mães fizeram questão de destacar que a APAE possui estrutura para o serviço, mas que os recursos repassados pelo Executivo são insuficientes, o que também já foi confirmado pela direção da entidade. O assunto também discutido pelos vereadores na sessão da Câmara desta segunda-feira, já que um grupo de mães ocupou a Tribuna Livre para relatar a situação. Já o prefeito Armando Mayerhofer disse na manhã desta terça-feira (10) que fez questão de receber o grupo de mães, e que concorda com a reivindicação. Ele observou, entretanto, que precisa de um prazo para analisar o aspecto legal antes de tomar uma decisão.