Criador de Sobradinho investe na produção de feno

O feno, que tem uma matéria seca em torno de 80 a 90%, é um volumoso que pode ser utilizado na dieta do rebanho bovino leiteiro no dia-a-dia, mas é mais comumente utilizado nos períodos de escassez de pastagens.

mar 26, 2022

Foto: Divulgação

A fim de que os produtores de leite possam ter um alimento de qualidade para os animais e com menor custo, para enfrentar a alta dos insumos no mercado e a escassez de pasto em determinados períodos, um dos temas trabalhados pela Emater na parcela da Bovinocultura de Leite na Expoagro Afubra é o planejamento forrageiro, com destaque para a produção de feno. O extensionista Anderson Mateus da Silva explica que a fenação é uma técnica de desidratação das pastagens, sendo mais comum na região Sul. O feno, que tem uma matéria seca em torno de 80 a 90%, é um volumoso que pode ser utilizado na dieta do rebanho bovino leiteiro no dia-a-dia, mas é mais comumente utilizado nos períodos de escassez de pastagens.

O planejamento deve observar questões como possuir uma área de forrageira disponível para fenação, disponibilidade de local adequado para armazenagem e observar a viabilidade (custo/benefício). O processo de produção do feno é formado pelas etapas de corte, espalhamento e revolvimento, enleiramento e enfardamento.  Silva observa que a produção de pastagens apresenta benefícios econômicos, sociais e ambientais. A família Ruoso, de Sobradinho, diversificou o cultivo de fumo com a bovinocultura de leite há nove anos. Desde então, foi aumentando o plantel, hoje com 35 vacas e 20 novilhas, e melhorando o sistema de pastagens, com a implantação de espécies perenes.

O produtor Renan Antônio Ruoso explica que, para isso, a família fez análise, correção e preparo do solo, bem como realizou o plantio com densidade adequada de mudas. O resultado foi muito satisfatório, em cerca de 45 a 50 dias já começou a fazer o pastoreio. A fenação iniciou há três anos, com a orientação da Emater e o auxílio de maquinário da Prefeitura. O produtor diz que o uso do feno de qualidade na alimentação dos animais também permitiu diminuir muito a proteína na ração.