Caso João Riél: Jovem de Tunas volta a ser notícia em todo o País, e delegada diz que investigação está em curso

O nome dele ganhou destaque novamente após uma postagem feita nas redes sociais pelo advogado de Porto Alegre, Francisco Kliemann A. Campis. Natural de Santa Cruz, o advogado fez um longo relato sobre as suspeitas que recaem sobre João Riel

ago 3, 2022

Foto: Reprodução

O tunense João Riél Manuel Hübner Nunes Vieira Teles de Oliveira Brito, de 31 anos, voltou a ser notícia em todo o país. O nome dele ganhou destaque novamente após uma postagem feita nas redes sociais pelo advogado de Porto Alegre, Francisco Kliemann A. Campis. Natural de Santa Cruz, o advogado fez um longo relato sobre as suspeitas que recaem sobre João Riel. A partir daí, vários meios de comunicação divulgaram reportagens sobre a trajetória do jovem de Tunas, que envolve desde a suspeita de plágios de livros até a atuação como advogado sem possuir inscrição na OAB.

Sobre esta denúncia, João Riel foi investigado pela Polícia Civil de Arroio do Tigre, após requisição feita pelo Ministério Público. Na manhã desta quarta-feira (03), a delegada Graciela Foresti Chagas falou sobre o caso. De acordo com ela, ao longo desta investigação foram coletados elementos para a instauração de novos procedimentos investigatórios a respeito de outras suspeitas, que em tese, poderiam caracterizar fraude e plágio de obras literárias. Segundo a delegada, alguns destes procedimentos ainda estão em andamento e outros em fase de conclusão e remessa ao Poder Judiciário. Sobre a movimentação de processos sem ter inscrição na OAB, Graciela Foresti Chagas informou que ele usava o número de uma advogada que se tornou juíza, e alegou que esqueceu de incluir a letra E, de estagiário.

Este inquérito foi concluído e enviado ao Poder Judiciário de Arroio do Tigre. O processo, no entanto, prescreveu durante a pandemia – ou seja, não foi julgado dentro do prazo legal – e desta forma foi extinta a possibilidade de condenação, como consta na sentença que é pública. Já o promotor de Justiça de Arroio do Tigre, Heráclito Neto, informou ao portal G-1 que a investigação também mostra uma incompatibilidade de datas e períodos para os cursos que ele diz ter feito. João Riel diz ter cursado mestrado, doutorado e pós-doutorado em três anos, inclusive no exterior. João Riel ganhou notoriedade, anos atrás, quando passou a se apresentar como poeta e escritor, em meios de comunicação e diversos órgãos públicos. Em sua página nas redes sociais, ele afirma que escreveu 31 livros e que teve participação em 200 antologias.

Na região Centro Serra ele recebeu diversas homenagens, como título de Cidadão Destaque e Honorário pelo município de Tunas, Cidadão Sobradinhense, patrono da 1º Feira do Livro de Tunas e Autor Destaque pelo município de Soledade. Também foi Autor Homenageado na Feira do Livro de Sobradinho e agraciado com a Comenda do Comando Regional da Brigada Militar do Vale do Rio Pardo. Sobre o decreto Legislativo aprovado na Câmara de Vereadores em 2016, concedendo a ele o título de Cidadão Sobradinhense, o presidente do legislativo, Jeferson Matana, informou que não descarta a possibilidade de revogação. A Academia Centro Serra de Letras informou que quando as primeiras suspeitas vieram à tona, ele foi convidado a se afastar da entidade.

Em sua trajetória, o tunense divulgou ter se encontrado com as mais altas personalidades da política e do judiciário. Entre elas, ministros do STF e até mesmo o presidente da República, Jair Bolsonaro e o vice, Hamilton Mourão. Em 2019, João Riél participou do programa Caldeirão do Hulk, da rede Globo, no quadro “Quem quer ser um Milionário”. Recentemente, ele anunciou que passou a apresentar um programa de TV na internet. A reportagem das rádios Sobradinho AM e Jacuí FM fez contato com João Riél na manhã desta quarta-feira. Ele disse que está avaliando a situação com seu advogado, a fim de definir se vai ou não se manifestar sobre as acusações.