Arroio do Tigre: Contas do ex-prefeito Gilberto Rathke serão julgadas no mês de julho

Tiago Bertollo avalia que os vereadores deverão levar em conta a parte técnica e também a parte política no momento de votar

jun 9, 2021

Gilberto Rathke

A Câmara de Vereadores deverá julgar no mês de julho as contas do ex-prefeito Gilberto Rathke, do PSB, relativas ao exercício de 2016. O parecer do Tribunal de Contas é pela rejeição. O relator do processo na Câmara, é o vereador Tiago Bertollo, do MDB. Falando nesta quarta-feira (09), ao programa Enfoque da Rádio Sobradinho AM, ele adiantou que ainda está analisando o processo, que possui mais de 400 páginas, com o auxílio da assessoria jurídica da Câmara.

Conforme o parlamentar, o relatório da Comissão de Economia, Finanças e Orçamento deverá estar concluído até o final deste mês. Tiago lembrou que a defesa do ex-prefeito também está sendo analisada, e ele ainda terá oportunidade de apresentar ampla defesa oral durante a sessão que vai apreciar suas contas, provavelmente, na segunda sessão ordinária do mês de julho. Bertollo preferiu não adiantar qual será a tendência de seu relatório, ou seja, se aprovando ou rejeitando as constas de Gilberto Rathke.

Vereador Tiago Bertollo

O vereador lembrou que o seu parecer servirá apenas como referência para os demais colegas que terão liberdade para votar, seguindo ou não a sua posição. Tiago explicou ainda que entre outros apontamentos, o Tribunal de Contas citou como irregularidades no exercício do ex-prefeito, restos a pagar sem dotação orçamentária e investimentos na área da saúde abaixo do mínimo exigido por lei. O vereador/relator fez questão de ressaltar que o parecer do Tribunal de Contas informa que não houve dolo ou desvio de recursos na gestão do ex-prefeito, apenas erros administrativos.

Tiago Bertollo avalia que os vereadores deverão levar em conta a parte técnica e também a parte política no momento de votar as contas de Gilberto Rathke. O vereador acrescentou que o TCE analisou separadamente as contas do ex-prefeito e de sua vice Vânia Pasa, do MDB. Ela, conforme Tiago Bertollo, teve aprovados pelo Tribunal de Constas, seus atos praticados no período em que esteve no comando do Executivo de Arroio do Tigre. A rejeição de constas pelo Legislativo Municipal é um dos motivos previstos em lei para que um ex-prefeito se torne inelegível pelo período de 8 anos.