Logo Rádio Sobradinho AM & Jacuí FM
Rural 08/08/2020 12:31
Por: Fabricio Ceolin

Em edição virtual, Saberes, Sabores e Sementes Crioulas acontece na próxima semana

Atualmente, participam da Associação dos Guardiões das Sementes Crioulas de Ibarama 40 famílias de agricultores, os quais são assessorados pela Emater.

Tradicionalmente realizado no início do mês de agosto, no município de Ibarama, o evento Saberes, Sabores e Sementes Crioulas acontece na próxima semana em formato virtual. No período de 10 a 14 de agosto vídeos, lives e rodas de conversas virtuais na página da Emater no Facebook e no canal do Youtube do Rio Grande Rural, abordarão o tema das sementes crioulas para agricultores, técnicos e pessoas interessadas no assunto. Na segunda-feira (10) serão divulgadas, na página do evento no Facebook, reportagens produzidas pelo Programa Rio Grande Rural da Emater nas edições anteriores do evento.

Na terça-feira (11), às 10 horas, será divulgado o vídeo “Contaminação de sementes crioulas e impactos para agricultores e consumidores”, um debate realizado pela Terra de Direitos, com a participação da assessora jurídica da Terra de Direitos, Naiara Bittencourt; da agricultora e guardiã de sementes Elizangela Ribeiro de Aquino; do pesquisador da Associação Brasileira de Agroecologia e do Movimento Ciência Cidadã, Leonardo Melgarejo; e do assessor técnico do Centro de Tecnologias Alternativas da Zona da Mata, Gabriel Fernandes.  Às 16 horas, o vídeo “A diversidade de sabores na alimentação de Ibarama”, com os guardiões de sementes crioulas Leonel e Eda Kluge e a extensionista rural Social da Emater/RS-Ascar, Leticia Fagundes.

A quarta-feira é marcada pelos vídeos sobre artesanato rural com palha de milho, com a agricultora Renilde Cembrani Raminelli, e o “Projeto Guardiões Mirins de Sementes Crioulas”, com depoimentos de professores e guardiões mirins.

A partir da quinta-feira (13) acontecem as lives e rodas de conversas virtuais. Às 9 horas será realizada, nos canais oficiais da Emater, a roda de conversa “O contexto e a importância das sementes crioulas em Ibarama”. A atividade tem como moderadora a extensionista rural Agropecuária da Emater, Lilian Alessandra Rodrigues, e a participação do engenheiro agrônomo e pesquisador da Embrapa Clima Temperado, Irajá Ferreira Antunes; do engenheiro agrônomo do Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia, Luiz Rogério Boemeke; do guardião das sementes crioulas de Ibarama, Leonel Valdemar Kluge; e do extensionista rural Agropecuário da Emater/RS-Ascar, Giovane Vielmo. Ainda na quinta-feira, a partir das 18 horas, o público é convidado para a live “Saberes e Sementes Crioulas: a experiência de Ibarama na conservação de milho crioulo - ensino, pesquisa e extensão”.

A live conta com a participação do extensionista rural Agropecuário da Emater, Giovane Vielmo, a engenheira agrônoma Josana Andreia Langner; a engenheira agrônoma e professora da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Lia Reiniger; a engenheira florestal e doutoranda em Desenvolvimento Rural pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Marielen Kaufmann; o guardião das sementes crioulas, Mario Jaci Raminelli; e a engenheira agrônoma e professora da UFSM, Marlove Muniz.

Encerrando a programação, na sexta-feira (14), às 14 horas, ocorre a live “Raças de milho nas Terras Baixas da América do Sul: um patrimônio genético e cultural”. A atividade tem como moderadora a extensionista rural Agropecuária da Emater/RS-Ascar, Lilian Alessandra Rodrigues, e a participação da pesquisadora do Grupo Interdisciplinar de Estudos em Agrobiodiversidade, Flaviane Malaquias Costa; a professora da Universidad Tecnológica del Uruguay e pesquisadora do Grupo InterABio, Natália Almeida e o professor da Universidad de la República Uruguay e pesquisador do Grupo InterABio Dr. Rafael Vidal.

Atualmente, participam da Associação dos Guardiões das Sementes Crioulas de Ibarama 40 famílias de agricultores, os quais são assessorados pela Emater. Porém, no município, a maioria das famílias de agricultores cultivam algum tipo de semente crioula, principalmente na base alimentar, onde são utilizados para subsistência. Entre os principais alimentos produzidos por essas famílias constam a abóbora, melão, melancia, ramas de mandioca, batata-doce, cana-de-açúcar, feijão, hortaliças, milho, entre outras. São mais de 20 variedades de milho resgatadas e preservadas e mais de 30 variedades de feijão.