Logo Rádio Sobradinho AM & Jacuí FM
Educação 14/04/2020 14:34
Por: Redação

Sobradinho participa de reunião online promovida pelo Conselho Nacional de Educação

Uma das pautas da reunião foi o esclarecimento de algumas questões em relação às aulas online, como por exemplo, se o conteúdo repassado por meio remoto pode ou não ser considerado como aula pelos professores.

A Presidente do Conselho Municipal de Educação e representante da UNCME, Professora Catiéli Bonelli participou de um seminário online, promovido pelo Conselho Nacional de Educação e pelo movimento Todos pela Educação e o Banco Mundial. Uma das pautas da reunião foi o esclarecimento de algumas questões em relação às aulas online, como por exemplo, se o conteúdo repassado por meio remoto pode ou não ser considerado como aula pelos professores.

O objetivo das discussões foi orientar as redes de ensino e ajudar a responder a essas e outras questões, onde o Conselho Nacional de Educação preparou uma resolução e um parecer sobre educação remota e a retomada das aulas após a suspensão das atividades presenciais para o combate à pandemia do novo coronavírus (covid-19). O documento irá esclarecer quais são os meios remotos pelos quais a escola poderá atuar, que vão desde a entrega física de materiais para as famílias e aulas pela TV e rádio às vídeoaulas transmitidas pela internet. De acordo com Maria Helena Guimarães de Castro, do Conselho Nacional de Educação, “a grande dificuldade que o Brasil, assim como os demais países está enfrentando, é a situação imprevisível numa área que não tem tradicionalmente a cultura do digital, do trabalho remoto ou da educação a distância.

Isso é novo e complexo para quem está trabalhando com educação básica nas escolas públicas e particulares”. Já a Presidente do Conselho Municipal de Educação, Professora Catiéli Bonelli, afirma que no município de Sobradinho, o Conselho segue aguardando a resolução, mantendo o diálogo com a Secretaria de Educação que já está montando seu plano e reorganizando o Calendário escolar. O próximo passo é, a partir da nova resolução nacional, criar uma normativa municipal que contemple a nossa realidade.