Logo Rádio Sobradinho AM & Jacuí FM
Rural 05/04/2019 14:55
Por: Redação

Morte de 50 bovinos por raiva herbívora em Soledade não causa preocupação para inspetoria veterinária de Passo Fundo

Segundo a veterinária da Inspetoria de Passo Fundo, Ana Paula Burin, a raiva herbívora é comum no Brasil e ocorre com uma certa frequência, porém preocupa os profissionais da área e é uma doença de notificação obrigatória.

A recente morte de 50 bovinos por raiva herbívora nas comunidades de Margem São Bento e São Sebastião, interior de Soledade, preocupou os produtores rurais da região sobre a possibilidade de um surto. A doença foi confirmada como sendo a causa da morte dos animais através de exames realizados nas carcaças. Segundo a veterinária da Inspetoria de Passo Fundo, Ana Paula Burin, a raiva herbívora é comum no Brasil e ocorre com uma certa frequência, porém preocupa os profissionais da área e é uma doença de notificação obrigatória.

A raiva é transmitida pela mordida de morcegos hematófagos, que se alimentam de sangue, e que são os hospedeiros do vírus. Os primeiros sintomas da doença são falta de coordenação motora e uma salivação excessiva. Os animais, quando afetados, morrem. Uma das preocupações, de acordo com a veterinária, é que a raiva atinge todos os animais e pode ser transmitida do animal para o ser humano. Ana Paula explica que a principal forma de identificar possíveis focos de raiva é saber se os bovinos e equinos estão sendo mordidos por morcegos. Caso se confirmem as mordidas, a Inspetoria deve ser acionada para identificar a espécie dos morcegos e para examinar o rebanho. Existe vacina para prevenir a raiva, que é encontrada em agropecuárias, porém, de acordo com a veterinária, ela somente é usada na região onde existe o foco da doença.

Ela explicou que os morcegos não migram em busca do alimento e a vacina é indicada somente em um raio de 12 km de onde os animais foram diagnosticados com o vírus. Ana Paula esclarece que a morte dos 50 bovinos em Soledade não é motivo para os produtores entrarem em pânico, uma vez que a Inspetoria de Passo Fundo não registra casos de raiva há um bom tempo e os morcegos contaminados não costumam sair longe em busca de alimento. Os produtores foram orientados, no entanto, para que ao encontrar morcegos em suas propriedades comuniquem imediatamente os profissionais a fim de tomem as medidas necessárias.