Logo Rádio Sobradinho AM & Jacuí FM
Geral 27/10/2020 15:49
Por: Redação

Delegada confirma que construção do prédio onde morreram dois pedreiros estava embargada

A delegada adiantou que o dono do imóvel poderá ser responsabilizado pelas mortes.

As obras do prédio onde morreram dois pedreiros após a queda de um andaime estavam embargadas. Foi o que disse a delegada Graciela Foresti Chagas, responsável pelo caso. Em entrevista ao programa Enfoque da Rádio Sobradinho AM, ela revelou que os documentos enviados pela prefeitura indicam que a construção era considerada clandestina pela fiscalização municipal, por não ter apresentado nem mesmo projeto de engenharia. O setor de fiscalização notificou o responsável que teria recorrido. Depois disso, ele não teria mais recebido as notificações e ignorado o embargo.

A delegada disse que vai analisar se a prefeitura tomou todas as medidas legais necessárias para impedir o prosseguimento da obra. Graciela Foresti Chagas afirmou que ainda está analisando a situação, mas adiantou que o dono do imóvel poderá ser responsabilizado pelas mortes. Ela também pretende avaliar eventual responsabilidade de outros profissionais que poderiam ter evitado o prosseguimento da obra, após o embargo.

ACIDENTE

O acidente ocorreu na manhã do dia 20, numa obra em construção na Rua Paulo Serena esquina com o Acesso Euclides Bento Pereira. Na ocasião, morreram Mauro Borges, de 41 anos, e Everton Borges, de 22 anos. Segundo a Polícia Civil, eles não usavam equipamentos de proteção individual. O imóvel está com quatro andares. Segundo os peritos do IGP, Pai e filho – naturais de Salto do Jacuí – estavam em cima de um andaime, sem os equipamentos de proteção individual, os EPIs.

“O Instituto-Geral de Perícias deve concluir o laudo do acidente em até 30 dias, mas, pelo que foi constatado, eles teriam sobrevivido se as condições de segurança tivessem sido adotadas”, revelou a delegada Graciela Foresti Chagas. A equipe de Engenharia do Departamento de Criminalística do IGP fez o atendimento do caso. Procurados, tanto o proprietário da obra, quanto sua advogada, por enquanto, não se manifestaram. 

Atualizada 28/10/2020 (às 13 hs)