Logo Rádio Sobradinho AM & Jacuí FM
Rural 18/12/2020 12:03
Por: Redação

Entidades e empresas fumageiras comparam custo de produção

Os encontros que ocorreram por videoconferência, iniciaram às 8h30min, estendendo-se até o fim da tarde.

As entidades representativas dos produtores de tabaco, formada pela Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) e pelas Federações da Agricultura (Farsul, Faesc e Faep) e dos Trabalhadores Rurais (Fetag, Fetaesc e Fetaep) do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, e lideranças das empresas fumageiras, reuniram-se nesta quinta-feira (17), para dar início à negociação do preço do tabaco da safra 2020/2021. Os encontros que ocorreram por videoconferência, iniciaram às 8h30min, estendendo-se até o fim da tarde.

Foram oito empresas: BAT Brasil (Souza Cruz), Philip Morris, JTI, Universal Leaf, Alliance One, China Brasil, CTA e UTC. A pauta das reuniões abordou, principalmente, o comparativo da variação do custo de produção apurado pelas empresas e pelos representantes dos produtores.

 Segundo o presidente da Afubra, Benício Werner, “não foi entrado na negociação do preço, propriamente dita, pois é preciso, primeiro, regular a variação do custo de produção”. A retomada das reuniões será marcada para janeiro. Os produtores que já comercializam a sua safra de tabaco receberão a diferença do valor, assim que fixada a tabela de preço de cada empresa integradora.