Logo Rádio Sobradinho AM & Jacuí FM
Polícia 05/06/2020 14:09
Por: Redação

Duplo homicídio em Segredo: Ex-mulher é presa e advogado de defesa deixa o caso

O advogado afirmou que no início do mês de março havia sido procurado por toda família para tratar da separação do casal e que agora ao perceber as dimensões do crime e por não compactuar com a situação decidiu renunciar à causa.

A Polícia Civil prendeu preventivamente na manhã de quinta-feira (04), a agricultora Hulda Lopes de Souza, mãe da jovem Kalinca Lopes, 23 anos, que confessou ter encomendado a morte do pai José Daricio de Souza em Rincão Nossa Senhora Aparecida no último dia 26 de maio. A delegada Graciela Foresti Chagas afirmou que a prisão se deu após a Polícia encontrar provas que apontam a participação dela no planejamento do crime.  

Em entrevista à Rádio Sobradinho, a delegada disse que Hulda admitiu que ela e Kalinca haviam tratado sobre um plano para matar José Darício, o que incluiu o uso do carro dela pela filha no dia do crime. Ainda segundo a delegada, Hulda contou que a motivação do crime seria o receio de perder a sua parte nos bens da família, após o casal ter se separado, por ela ter deixado a casa onde moravam os dois. Sobre a afirmação do advogado Jorge Pohlmann de que Kalinca apresentava transtorno mental, Graciela Foresti Chagas afirmou que não viu motivos para isso no comportamento da jovem. Ela lembrou, no entanto, que a solicitação de um exame de sanidade mental é uma possibilidade em qualquer processo que pode ser aceita ou não pela Justiça.

Com a prisão da ex-mulher de José Darício de Souza, a Polícia consideram praticamente elucidado o caso. Dois dias após já haviam sido presa a filha dele Kalinca Lopes e seu namorado João Ricardo Prestes. Os dois estavam no local do crime. Conforme a Polícia o homem de Candelária contratado por R$ 5 mil reais para executar o crime está com prisão preventiva decretada e encontra-se foragido. José Darício foi executado junto com o funcionário Mazonde Rodrigues com disparos no rosto. Os corpos dos dois estavam com as mãos amarradas para trás. Na entrevista de hoje, a delega disse que a inda não recebeu os documentos solicitados que podem comprovar a existência ou não de um suposto seguro de vida no valor de R$ 500 mil reais em nome de José Darício.

Já o advogado Jorge Pohlmann, também em entrevista da Rádio Sobradinho, anunciou nesta sexta-feira (05), que decidiu deixar o caso. Ele afirmou que no início do mês de março havia sido procurado por toda família para tratar da separação do casal e que agora ao perceber as dimensões do crime e por não compactuar com a situação decidiu renunciar à causa. Ele negou que a decisão tenha relação com a repercussão negativa que houve âmbito político. Pohlmann é pré candidato do Progressista à prefeitura de Sobradinho. Na entrevista, o advogado lamentou ter sofrido ataques nas redes sociais por inicialmente ter atuado no caso.Lamentou ainda comentários ofensivos feitos a uma segunda filha do casal, menor de 11 anos.

Quanto ao pedido de exame de sanidade mental de Kalinca, Pohlmann disse que apenas comentou em entrevista a um veículo de imprensa que a jovem apresentava sinais de transtorno e que ela fazia uso de medicação de uso contínuo. A Delegada Graciela Foresti Chagas não quis estimar a pena para os envolvidos no crime, mas adiantou que eles deverão ser indiciados por homicídio qualificado e deverão ir a júri popular.