Logo Rádio Sobradinho AM & Jacuí FM
Geral 14/02/2018 14:45
Por: Redação

Campanha da Fraternidade abre nesta quarta-feira junto com a Quaresma

A Campanha da Fraternidade 2018 tem como tema: Fraternidade e Superação da Violência.

  • Padre Gelso Bernardi. Foto: Jorge Foletto

Nesta Quarta-feira de Cinzas não só começa a Quaresma para os católicos. Também é lançada a Campanha da Fraternidade 2018, com um tema bem atual: Fraternidade e Superação da Violência. O lema, apoiado na bíblia, complementa o motivo da escolha. Retirado do Evangelho de Mateus, capítulo 23, ressalta: "Vós sois todos irmãos”.

Segundo a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil a ideia é dialogar e promover a paz, analisar as múltiplas formas de violência e instruir a comunidade sobres os serviços públicos existentes gratuitamente em prol da justiça, estimulando participação social.

O lançamento da campanha se dá junto à Quaresma, período de 40 dias (até 29 de março) em preparação à data mais importante do ano católico, a Páscoa, que lembra a paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo. A contagem se inicia sempre na Quarta-Feira de Cinzas, com a celebração da missa de imposição das cinzas na testa dos fieis. Na matriz dos Navegantes haverá missa logo mais às 20 horas. Neste horário também haverá missas nas capelas São Miguel, de Pitingal e Santa Terezinha, em Lagoa Bonita. As cinzas são oriundas da queima dos ramos do Domingo de Ramos anterior.

No próximo sábado, dia 17, das 8 e meia às 11 e meia, no salão paroquial haverá estudo da campanha da Fraternidade, com a presença de lideranças de todas as Paróquias da área Norte formada por Sobradinho, Arroio do Tigre, Segredo, Ibarama, Lagoa Bonita e Passa Sete. Estará presente Édson Costa – assessor do Centro de Estudos Bíblicos, de São Leopoldo.

Falando nesta quarta-feira (14) ao programa ENFOQUE da Rádio Sobradinho AM, o Pároco da Matriz dos Navegantes, Padre Gelso Bernardi, lembrou as múltiplas formas de violência enfrentadas hoje pela sociedade, acrescentando que o Brasil possui estatísticas de violência piores do que alguns países em guerra.