Logo Rádio Sobradinho AM & Jacuí FM
Geral 20/07/2019 12:06
Por: Redação

Tabaco brasileiro apto à exportação para China

Em 2018, devido a questões logísticas e à decisão do cliente de postergar embarques para o primeiro semestre de 2019, o país figurou na terceira colocação, com US$ 165 milhões embarcados.

  • O presidente do SindiTabaco Iro Schünke falou sobre a importância da parceria comercial com a China. Foto: divulgação
  • Supervisor da GACC apresentou os resultados positivos da pré-inspeção. Foto: divulgação

O tabaco brasileiro foi, mais uma vez, certificado pelos técnicos chineses da Administração Geral das Alfândegas da República da China (GACC) para ser embarcado. A pré-inspeção é uma das exigências do atual protocolo bilateral de comércio entre Brasil-China para a exportação do tabaco e compreende a coleta de amostras do produto processado para testes laboratoriais que comprovem a fitossanidade do tabaco brasileiro antes do embarque.

O encerramento das atividades ocorreu nesta sexta-feira (19), em Santa Cruz do Sul e reuniu representantes do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco) e empresas exportadoras, integrantes da GACC, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), e da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC). Segundo Liu Fuchao, o trabalho deste ano foi concluído com sucesso.

A responsável técnica do Laboratório de Fitopatologia, professora Adriana Dupont, acompanhou as análises laboratoriais. A China é um importante parceiro do agronegócio brasileiro há alguns anos e isso também acontece no setor do tabaco: em 2017 figurou como segundo maior país comprador do tabaco brasileiro, gerando US$ 276 milhões em divisas, o que representou 13% do total embarcado no ano.

Em 2018, devido a questões logísticas e à decisão do cliente de postergar embarques para o primeiro semestre de 2019, o país figurou na terceira colocação, com US$ 165 milhões embarcados. Como reflexo, é esperado um aumento nos embarques do ano corrente.