Logo Rádio Sobradinho AM & Jacuí FM
Educação 07/10/2020 12:43
Por: Redação

AMCSERRA decide manter aulas remotas até fim do ano

AMCSERRA, decidiu de forma unânime, não retornar às aulas, e manter suspensas as atividades escolares presenciais no ano de 2020 nas Redes Municipal, Estadual e Privada de Ensino.

 A Associação dos Municípios do Centro Serra divulgou uma nota oficial com relação a volta às aulas presenciais. De acordo com o documento, assinado pelo presidente da entidade, Jorge Luiz Hoffmann - prefeito de Cerro Branco – considerando, entre outras coisas, a situação de calamidade pública declarada em todo o Estado do Rio Grande do Sul, devido a pandemia do Coronavírus; o modelo de Distanciamento Controlado do Estado do Rio Grande do Sul, apoiado e cumprido por todos os Municípios; a grande preocupação dos gestores com os riscos que a volta presencial das aulas pode ocasionar a saúde pública; a dificuldade de atender as ações impostas pelo Governo do Estado, com vistas a garantir as medidas sanitárias dos ambientes escolares e do transporte escolar; o trabalho dos servidores da educação que, desde o início da pandemia, não tem medido esforços em levar aos estudantes gaúchos as atividades remotas planejadas em cada educandário, mesmo com as dificuldades que o momento impõe a todos nós;

Considerando, orientação e recomendação da FAMURS, entidade representativa de todos os municípios, e ainda, levando-se em conta o levantamento feito nos 12 Municípios Associados da AMCSERRA, bem como, a reunião realizada nesta quarta-feira (07), entre Prefeitos e Secretários de Educação de Arroio do Tigre, Cerro Branco, Estrela Velha, Ibarama, Jacuizinho, Lagoa Bonita, Lagoão, Novo Cabrais, Passa Sete, Segredo, Sobradinho e Tunas, e visando a contenção e propagação do Covid-19, a Associação dos Municípios do Centro Serra – AMCSERRA, decidiu de forma unânime, não retornar às aulas, e manter suspensas as atividades escolares presenciais no ano de 2020 nas Redes Municipal, Estadual e Privada de Ensino.

Os prefeitos da AMCSERRA optaram em manter as atividades remotas de ensino conforme vem ocorrendo até o momento. Jorge Hoffmann destaca que os municípios não podem e não irão interferir na essência da atividade escolar do Estado, eis que não é da sua atribuição constitucional, mas pode determinar as regras de funcionamento dos espaços públicos e privados no seu território, especialmente neste período de excepcionalidade.