Logo Rádio Sobradinho AM & Jacuí FM
Saúde 23/05/2020 14:28
Por: Redação

Sicredi Centro Serra irá doar R$ 500 mil em equipamentos para os hospitais da região

Associados aprovaram a destinação exclusiva do Fundo Social para auxiliar no combate ao coronavírus. Valor investido na primeira etapa foi de R$ 262 mil

  • Fotos: Divulgação Sicredi
  • Fotos: Divulgação Sicredi
  • Fotos: Divulgação Sicredi

O Sicredi – instituição financeira cooperativa – já ultrapassou os R$ 13 milhões em doações para as ações de combate aos efeitos do Covid-19 em todo o Brasil. As sedes regionais das cooperativas de crédito, de acordo com sua autonomia e com a decisão dos associados, mantêm contato com hospitais e secretarias de saúde para definir a forma do repasse das verbas. Ao todo, são 110 cooperativas do Sicredi no país.

Uma dessas cooperativas é a Sicredi Centro Serra. Com sede em Candelária e agências em 14 municípios, os associados da cooperativa, através dos delegados eleitos para representá-los, decidiram aplicar recursos na compra de equipamentos para oito hospitais da região, totalizando um investimento de R$ 500 mil. Entre os equipamentos estão bomba de infusão, monitor de sinais vitais, aspirador cirúrgico, carro de emergência, oxímetro, concentrador de oxigênio, multinebulizador e aparelho de pressão. O valor da primeira etapa de doação foi de R$ 262 mil.

“O Sicredi sempre foi engajado no desenvolvimento da região, não só o econômico, mas também o desenvolvimento social, que passa necessariamente pela promoção do bem-estar das pessoas. Isto está intimamente ligado ao 7º princípio universal do cooperativismo – Interesse pela Comunidade”, justifica o presidente do Conselho de Administração do Sicredi, Egidio Morsch. Para ele, é necessário auxiliar os hospitais para cuidar da saúde de nossas comunidades. “Afinal, melhorar a qualidade de vida do nosso associado e da sociedade faz parte da missão do Sicredi”.

O médico Lissauer Antonio Lima Barbosa atua nos hospitais de Sobradinho e Arroio do Tigre. Ele prestou auxílio para identificar a necessidade individual dos hospitais do Centro Serra na aquisição dos equipamentos. “Essa doação do Sicredi é incalculável. Quase a totalidade dos hospitais da nossa região é carente desse aparato e todos, sem exceção, passam por dificuldades financeiras”, explica Lissauer.

Segundo o médico, os equipamentos seguirão amparando a população mesmo após o fim da pandemia. “Essa contribuição é muito bem-vinda para ajudar a salvar vidas nesse momento de luta contra o coronavírus e também futuramente”.

RESPIRADORES – A compra de respiradores está na pauta das aquisições, mas não foi possível ainda devido à sua completa escassez. A intenção é retomar as negociações assim que a fabricação dos equipamentos normalizar, pois poderão ser usados tanto agora, como futuramente, para outros problemas respiratórios. Somando a primeira e segunda etapas de doações, o valor doado pelo Sicredi chegará perto dos R$ 500 mil.

O diretor executivo da Sicredi Centro Serra, Dilamar Rusch, relembra que a doação aos hospitais está alinhada com práticas anteriores da empresa. “Esse sempre foi o jeito do Sicredi trabalhar, de reinvestir na comunidade parte dos resultados gerados na própria região”, pondera. Há quatro anos, por exemplo, a cooperativa realiza a ação Doe Solidariedade, a qual já destinou 62 toneladas de alimentos para entidades e organizações dos municípios de região. Para ele, o momento é de juntar forças. “Quanto mais cooperação houver, mais rapidamente vamos sair dessa situação e retomar a vida econômica e social novamente”, acredita o diretor.

FUNDO SOCIAL – O recurso utilizado pela Cooperativa provém do Fundo Social. Aprovados pela assembleia de associados em 2020, os 2% sobre o resultado seriam originalmente usados para financiar projetos em 6 áreas: educação, cultura, esportes, meio-ambiente, segurança e saúde.

Porém, devido à pandemia de Covid-19, o Conselho de Administração resolveu consultar os associados delegados (representantes dos demais associados) sobre a utilização exclusiva para a Saúde, iniciativa que foi aprovada por unanimidade.

Com isso, as entidades que já estavam planejando elaborar os projetos para este ano devem aguardar para 2021.