Logo Rádio Sobradinho AM & Jacuí FM
Rural 16/03/2020 13:59
Por: Redação

Fetag aguarda medidas do Ministério da Agricultura para enfrentar a estiagem

Em entrevista à Radio Sobradinho ele afirmou que uma delas é a bolsa estiagem que já estaria praticamente definida pelo governo.

O presidente da Fetag relatou nesta segunda-feira (16) as principais medidas que a entidade aguarda do Ministério da Agricultura para o enfrentamento da estiagem. Em entrevista à Radio Sobradinho ele afirmou que uma delas é a bolsa estiagem que já estaria praticamente definida pelo governo. Por meio dela, os pequenos agricultores com renda de até três salários mínimos, que não obtiveram financiamento e que produzem basicamente para sua subsistência, teriam direito a uma ajuda de mil reais, sem necessidade de devolução. Os recursos seriam oriundos do Ministério da Cidadania.

Outra medida defendida pela Fetag e demais entidades do setor é a prorrogação por 10 anos dos financiamentos. Carlos Joel da Silva disse que isso é necessário porque o Proagro não cobre o total das dívidas. Outro pedido é a criação de uma linha emergencial de recursos de até 30 mil reais com prazo de 10 anos para o pagamento.  O presidente da Fetag ainda lembrou que muitos agricultores financiaram seus insumos diretamente com cooperativas ou agropecuárias. Para estes casos também foi apresentada a reivindicação de uma linha de crédito especifica, mas o dirigente acredita que esta é mais difícil de ser atendida.

Carlos Joel da Silva acrescentou, que as entidades pediram que seja garantido aos produtores de tabaco usufruir de todas estas medidas, sem restrições. Para garantir alimentação aos animais, a expectativa é que o governo destine milho de outros estados, como Mato Grosso, para venda no Rio Grande do Sul, por meio da CONAB, a preços mais baixos que o mercado. Segundo, o presidente da Fetag, a ministra da Agricultura, Teresa Cristina, vai discutir o assunto amanhã com o ministro da Economia, Paulo Guedes, que deverá dar a última palavra.