Logo Rádio Sobradinho AM & Jacuí FM
Política 26/02/2019 14:24
Por: redacao

Estudo técnico para a viabilização da concessão das rodovias gaúchas já foi concluído

O governo estadual estima agora que o edital para licitação da RSC-287 entre Tabaí e Santa Maria; da ERS-020, de Gravataí até Canela e da ERS-324, que liga Passo Fundo a Nova Prata, seja lançado entre junho e julho deste ano.

O estudo técnico para a viabilização da concessão das rodovias gaúchas já foi concluído. Assim, o governo estadual estima agora que o edital para licitação da RSC-287 entre Tabaí e Santa Maria; da ERS-020, de Gravataí até Canela e da ERS-324, que liga Passo Fundo a Nova Prata, seja lançado entre junho e julho deste ano.  Por meio de assessoria de imprensa, a Secretaria de Governança e Gestão Estratégica confirmou nesta segunda-feira (26) que os estudos para concessão, realizados pela consultoria KPMG/Manesco/Planos Engenharia, estão concluídos, conforme previa o cronograma entregue ao atual governo.

Segundo a Secretaria, para a primeira quinzena de março está prevista a apresentação do estudo ao Conselho Gestor do Programa de Concessões do Estado – a data será definida nos próximos dias.  Após essa etapa, que exige sigilo e atende a requisitos legais, o estudo será divulgado ao público. Após as audiências públicas, o plano será submetido aos órgãos de fiscalização do governo gaúcho. Antes de receber o estudo técnico para a concessão das rodovias, o governador Eduardo Leite (PSDB) precisou editar um decreto para garantir que a manutenção da RSC-287 fosse realizada no período em que se discutirá a concessão privada. Na época em que o estudo da KPMG foi contratado, há quase dois anos, não havia previsão de incluir no plano de concessões do Estado as rodovias que já estavam pedagiadas e delegadas à gestão da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR).

No caso da 287, apenas o trecho entre Paraíso do Sul e Santa Maria seria licitado, ficando o restante, entre Tabaí e Paraíso do Sul, concedido à estatal, que deveria continuar em atividade. No ano passado, o então governador Sartori alterou a proposta de 2017, incluindo toda a extensão da RSC-287, mas sem alterar a questão dos pedágios. Por conta disso, as praças de Candelária e Venâncio Aires poderiam ser desativadas momentaneamente. Isso impactaria na falta de manutenção do trecho entre Tabaí e Paraíso do Sul, até o início da nova concessão privada. O decreto que alterou o texto de Sartori foi assinado pelo atual governador na semana passada.

Segundo o presidente da Associação Comercial e Industrial (ACI) de Santa Cruz do Sul, Lucas Rubinger, a notícia da conclusão do estudo técnico é recebida com vibração pela comunidade regional. A ACI integra o movimento #Duplica287, orquestrado por entidades dos vales do Rio Pardo, Jacuí-Centro e Centro. O objetivo é pressionar o governo gaúcho para a necessidade de duplicação de toda a extensão da RSC-287, de Tabaí a Santa Maria.

Fonte: Portal Gaz