Logo Rádio Sobradinho AM & Jacuí FM
Saúde 28/02/2019 13:43
Por: redacao

Ministério da Saúde confirma negociações para importar o remédio Spinraza

A análise de sua possível incorporação deve ocorrer agora em março, pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS.

  • Heitor de Vargas. Foto: arquivo
  • Deputado Adolfo Brito. Foto: arquivo

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou nesta quarta-feira (27) que a pasta irá adotar a modalidade de compartilhamento de risco na aquisição de medicamentos. Na prática, isso significa que o governo só pagará pelo medicamento se houver melhora do paciente. O nusinersen (spinraza), destinado ao tratamento da doença rara Atrofia Muscular Espinhal (AME), poderá ser a primeira medicação incluída no Sistema Único de Saúde (SUS) pelo viés da nova modalidade.

Atualmente, o tratamento por paciente custa Um milhão e 300 mil reais por ano. A análise de sua possível incorporação deve ocorrer agora em março, pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS. De acordo com o ministro, a nova modalidade de aquisição de medicamentos aproxima o Brasil de países que já utilizam essa modelagem, como Canadá, Itália, França, Espanha, Alemanha e Inglaterra. No Brasil, aproximadamente 13 milhões de pacientes têm doenças raras.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 65 pessoas a cada 100 mil indivíduos vivem com essa condição. São cerca de 8 mil doenças raras no mundo, sendo que 80% decorrem de fatores genéticos e 20% estão distribuídos em causas ambientais, infecciosas e imunológicas. Na região, o bebê Heitor de Vargas – morador de Lajeado da Gringa/Ibarama - com 7 meses de vida, luta contra a Atrofia Muscular Espinhal – tipo 1.

O Deputado Adolfo Brito, que esteve dia 20 no Ministério, em Brasília, tratando do assunto, disse esperar que no segundo semestre sejam concluídas as negociações entre o Ministério da Saúde e o laboratório norte-americano para o fornecimento do medicamento para o menino Heitor. No Estado do Rio Grande do Sul já foi conseguida a isenção do ICMS, o que ajuda a diminuir consideravelmente o custo do medicamento. Adolfo Brito confirmou que estará em Ibarama esta noite, para reunião com familiares e coordenadores da campanha que busca recursos para o tratamento do menino.

Na oportunidade vai detalhar todas as ações articuladas junto ao Ministério da Saúde, Governo do Estado, Secretaria Estadual da Saúde, Defensoria Pública Estadual, Hospital de Clínicas e, nos últimos dias, os encaminhamentos feitos com os diretores da Biogen, empresa que representa o laboratório no Brasil. Conforme o parlamentar, a partir de agora a sequência das negociações terá que ser feita diretamente entre os familiares, com o apoio técnico do Hospital das Clínicas, e o setor de atendimento ao médico da empresa distribuidora do medicamento Spinraza.