Logo Rádio Sobradinho AM & Jacuí FM
Rural 10/10/2020 12:45
Por: Fabricio Ceolin

Afubra revela que safra de tabaco 19/20 fecha em 633 mil toneladas

Com referência ao preço médio praticado na safra 2019/2020, o presidente da Afubra, Benício Albano Werner, destaca que foi um ano ruim para os fumicultores. 

A Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) finalizou nesta sexta-feira (9), os números referentes à safra de tabaco 2019/2020. A produção, nos três Estados do Sul do Brasil, fechou em 633.021 toneladas, sendo 564.962 toneladas na variedade Virgínia, 58.912 no Burley e 9.147 na variedade Comum. Comparada com a safra 2018/2019, que finalizou com 664.355 toneladas, houve redução de 4,8% no Virgínia e 9,5% no Burley e aumento de 7,3% na variedade Comum.

Já a produtividade teve queda apenas no Rio Grande do Sul, na variedade Virgínia, que, na safra 2018/2019 era de 2.244 kg/ha, na 2019/2020 caiu para 1.895 kg/ha (-15,6%). Também no estado gaúcho, na variedade Burley, houve aumento de 7,2%, passando de 1.971 kg/ha para 2.113 kg/ha. Os produtores catarinenses tiveram incremento de produtividade nas duas variedades: Virgínia, passando de 2.320 kg/ha para 2.456 kg/ha (5,9%), e no Burley, de 2.116 kg/ha para 2.146 kg/há (1,4%). No Paraná, também houve aumento: no Virgínia, de 2.194 kg/ha para 2.336 kg/ha (6,5%), e no Burley, de 2.167 kg/ha para 2.346 kg/há (8,3%).

Com referência ao preço médio praticado na safra 2019/2020, o presidente da Afubra, Benício Albano Werner, destaca que foi um ano ruim para os fumicultores. Segundo ele, “o reajuste nas tabelas das empresas fumageiras ficou entre 2 a 4%. Porém, na esteira, no momento da comercialização, numa média dos três Estados do Sul do Brasil, o preço praticado ficou em R$ 8,86 por quilo, ou seja, um aumento de apenas 0,34% em relação ao preço médio praticado na safra passada (R$ 8,83).

Na variedade Virgínia, que responde por 564.962 toneladas, o preço médio ficou em R$ 8,98, um aumento de 0,64%, pois, na safra passada, o preço médio ficou em R$ 8,92 por quilo. Isso, segundo Benício Werner, trouxe um prejuízo considerável aos fumicultores”.

Quanto ao granizo, todas as regiões produtoras de tabaco já foram atingidas. Desde o início da safra 2020/2021, até sexta-feira, 9 de outubro, o Sistema Mutualista da Afubra registrou 6.640 lavouras atingidas, contra 2.911 na safra passada, no mesmo período. Os números significam um aumento de 128%.