Logo Rádio Sobradinho AM & Jacuí FM
Rural 24/07/2020 13:35
Por: Fabricio Ceolin

Estações meteorológicas vão monitorar deriva do 2,4 D

Sobradinho faz parte da lista dos municípios onde já houve comprovação de danos causados pela deriva do 2,4-D e obedece normas para aplicação do produto.

A instalação das estações meteorológicas que vão monitorar a deriva do 2,4 D começou no Rio Grande do Sul. As duas primeiras estão localizadas em olivais dos municípios de Pinheiro Machado e Piratini. A instalação é uma parceria da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural com o Ministério Público Estadual, através da Promotoria do Meio-Ambiente. As estações fazem parte do inquérito do 2,4 D, instaurado pelo Ministério Público Estadual no ano passado. Elas vão captar os dados atmosféricos para gerar os alertas meteorológicos de deriva, das condições adequadas ou inadequadas de aplicação dos agrotóxicos hormonais.

As estações vão captar os dados de temperatura, vento, umidade, radiação, chuva, entre outros, que vão permitir saber, em tempo real, se houve condições de deriva do 2,4 D, afirma Flávio Varone, meteorologista da Secretaria. Além disso, os dados gerados vão permitir também estudos mais específicos, como pesquisas na área de olivicultura.  No total são 20 estações, construídas através de acordo com recursos de uma empresa de agrotóxicos, e em parceria com produtores, universidades e prefeituras, que cedem o local de instalação. De acordo com o promotor do Ministério Púbico Estadual, Alexandre Saltz, “para o MP o início da operação das estações é um grande avanço, não apenas porque representa o produto de um acordo que foi construído durante uma árdua negociação envolvendo o uso do herbicida hormonal 2,4 D no Estado, mas também porque vai qualificar a prestação de informações à sociedade, aos produtores rurais e vai qualificar os processos de fiscalização e controle do uso de agrotóxicos no Rio Grande do Sul.

Entre as principais culturas sensíveis ao 2,4 D estão a macieira, videira, oliveira, nogueira-pecã, erva-mate, tomate e hortaliças. Nesta safra, das 171 amostras coletadas em 54 municípios para detecção do 2,4 D, 87,13% deram resultado positivo. No ano passado, o índice foi de 85,2%, mas em uma amostra menor, de 81 análises. Várias instruções normativas já foram publicadas pela Secretaria da Agricultura desde o início das denúncias de deriva do 2,4 D no estado em 2019, regulamentando e instituindo processos, como o curso de aplicadores de agrotóxicos, o cadastro de aplicadores, a venda orientada do produto e a declaração de uso.

Sobradinho faz parte da lista dos municípios onde já houve comprovação de danos causados pela deriva do 2,4-D e obedece normas para aplicação do produto, entre as regras está o respeito das condições meteorológicas, além do uso de equipamentos devidamente adequados para evitar a deriva, como por exemplo, com bicos aplicadores compatíveis conforme a recomendação do fabricante do produto aplicado. Além disso, outra exigência é que o aplicador passe por um treinamento, e seja cadastrado numa plataforma criada pela Secretaria da Agricultura. O produtor também precisa informar as datas, inicial e final, da aplicação. A Emater e administração municipal já estão buscando contatos para que uma estação meteorológica seja destinada pelo Governo do Estado ao município de Sobradinho.